• Mr. Frete

E-groceries no Brasil: evento da Instaleap destaca principais desafios

A empresa de logística de última milha para e-groceries realizou um evento com grandes nomes do mercado brasileiro.



Ilustração de compras de supermercado na frente de uma tela de computador, ao lado está escrito "E-groceries no Brasil: evento da Instaleap destaca principais desafios".

No dia 16/04 acompanhamos o Webnair, "E-groceries no Brasil: os principais desafios da última milha".


O evento foi realizado pelo Instaleap, empresa especializada em logística de última milha para supermercados, que opera com alguns dos varejistas e supermercados mais importantes da América Latina e de Portugal.


Nos últimos meses, com a restrição de circulação de pessoas nas ruas devido a pandemia, hábitos como realizar as compras online se tornaram essenciais.


Desde a compra de eletrônicos e de roupas até as necessidades básicas de alimentação precisaram ser supridas de maneira remota.


No bate-papo estiveram presentes, compartilhando suas experiências e respondendo perguntas de espectadores de todo país, Rodrigo Pimentel, diretor de e-commerce alimentar do Grupo Pão de Açúcar, Alberto Serrentino, fundador da Varese Retail e Antônio Mello, diretor de mercado do iFood.


Na palestra online, foram abordados os principais temas de discussão do varejo no país, como a caracterização do mercado brasileiro de e-groceries, levando em conta as tendências de consumo e os principais desafios para “dominar a última milha”.


As dificuldades que ainda devem ser superadas incluem a experiência do cliente, flutuação de demanda, integração de tecnologia no processo, entre muitas outras.


O varejo foi praticamente o último a se adaptar à nova realidade de vendas pela internet.

Afinal, boa parte do setor via a transformação digital como algo distante e futurista.


Porém, para se adaptar a novos momentos e superar crises, acompanhar essa evolução foi indispensável. Foi a partir dessa tendência que surgiu o E-Grocery!


Nunca ouviu esse termo? Nós explicamos!


A palavra “Grocery” é uma expressão em inglês que significa mercearia, já o “e”, nada mais é do que o prefixo usado para se referir à internet. Portanto, E-groceries é o termo que representa o ato de comprar alimentos online.


Essa nova técnica de fazer compras de supermercado de maneira remota, como tudo que é novo, ainda enfrenta muitos desafios. Embora ofereça comodidade, ela levanta muitas questões importantes sobre a logística necessária para oferecer a melhor experiência para os consumidores e as empresas.


Segundo o webnair da Instaleap, listamos os 6 maiores desafios enfrentados pelo E-grocery no país.


Picking


Um dos processos que são normalmente executados pelos clientes, passam a ser responsabilidade do mercado, como a escolha dos produtos, que é realizada por um funcionário do estabelecimento de acordo com o pedido.


Os desafios são fazer as escolhas certas, atender a expectativa dos clientes em relação a marcas, qualidade, tempo de validade e amadurecimento dos produtos.


Além de não esquecer de nenhum item, deve-se saber fazer substituições de acordo com o desejo do cliente. Esses processos, quando executados em grande escala, criam grandes desafios para manter a produtividade e a qualidade do serviço prestado.


Qualidade dos produtos


Os produtos frescos têm um prazo de validade curto. Portanto, como no início da manhã a demanda de compras online é menor, isso significa que os compradores do varejo físico podem escolher os melhores produtos.


Isso também se torna uma questão a ser pensada quando levamos em conta o tempo de entrega. Como as expectativas de qualidade são muito altas, os clientes exigem que os produtos certos sejam escolhidos e entregues no momento exato. Uma das saídas é utilizar mensagens de alerta para os consumidores, avisando sempre em qual etapa está o pedido.


Experiência e entrega


Diferente do e-commerce de outros produtos, o cliente das E-groceries não está preparado para longas esperas para adquirir alimentos, pois estão acostumados com a disponibilidade imediata. A logística do e-grocery deve ser rápida, como no caso de deliveries de refeições prontas.


Portanto é importante acompanhar de perto o caminho do produto até a casa do cliente.


Firmar parcerias com empresas de entrega é uma boa opção.


Essa solução de colaboração tem sido muito utilizada, pois ao contratar empresas especializadas para realizar o trabalho, o varejista pode delegar a função de entrega e focar nos demais desafios.


Estoque


A disponibilidade dos produtos que o cliente seleciona de maneira online é o desafio que abrange quase todos os setores, uma vez que precisa de responsáveis de diferentes departamentos.


Como as compras online são imprevisíveis, os pedidos podem exceder os níveis regulares de estoque no e-grocery.


Para atender os pedidos online é necessário um grande esforço de equipe e de armazenamento.


Especialização


Por ser uma atividade complexa, realizar todas as etapas necessárias para a venda de alimentos online necessita de funcionários especializados.


Uma abordagem bastante utilizada é contar com o trabalho dos funcionários da própria loja física.


Porém, é necessário capacitar equipes de funcionários de vários departamentos para apoiar as operações de comércio eletrônico.


O treinamento contínuo é essencial para evitar o erro humano.


Automatização


Relativamente nova no cenário varejista, a ideia de contar com ferramentas que automatizam e dão segurança ao processo se torna fundamental nesse tipo de modalidade.


Um processo automatizado praticamente elimina as chances de falhas e agiliza toda a cadeia de venda e de entregas.


Porém contar com software que tenha funcionalidade de fazer uma separação automática de produtos e que confira as mercadorias que são transportadas ainda não é uma realidade presente em muitos varejos no país.